A Realidade da Palavra

As noites que todos passam no Getsemani trazem manhãs de Páscoa. Deixamos que o caminho do calvário se faça com a cruz das ilusões. Quando enviamos para o porto de partida aquela parte que não fermentou na realidade, acolhemos o que desembarcou em nós sem ter germinado. Na noite do Getsemani, o sol esconde-se cedo e a natureza que nos rodeia desperta.
Os ouvidos escutam o vazio e as vozes ditam sentenças há muito conhecidas. A nossa voz, em litania, ora ao Deus da vida para que a morte não seja cega. Na oração ao Deus da vida vê-se o princípio no fim. Foi o amor que nos chamou.
Amanhã de manhã será Páscoa.

DOMINGO
Se o grão de trigo, lançado à terra, não morrer, fica só; mas se morrer, dará muito fruto. Quem ama a sua vida, perdê-la-á, e quem despreza a sua vida neste mundo conservá-la-á para a vida eterna. (Jo 12, 24-25)

SEGUNDA-FEIRA
A solidão do acusado é maior do que a cela que o prende. A solidão do condenado é maior do que a morte que o desliga do mundo.

TERÇA-FEIRA
A solidão da incompreensão fere a alma até à medula, deixa exangue o ânimo e os braços incapazes do abraço.

QUARTA-FEIRA
A solidão da rejeição não permite que o sol desponte todos os dias nem que se abram todos os sorrisos encantadores.

QUINTA-FEIRA
A solidão do que está só. Sem referências… sem abraços… só com um destino sem destino… é todo aquele que deserta de lançar vida no terreno fértil da comunidade.

SEXTA-FEIRA
A solidão da pessoa humana brota de ainda não conhecer a Deus. Pensa Deus como um ser poderoso… Deus é comunhão.

SÁBADO
A solidão da morte. De quem morre? Não, essencialmente, de quem perde alguém.
Na morte o que mais dói é a solidão que traduzimos em saudade.

ORAÇÃO
Cura a minha cegueira,
Toca o meu coração,
Para que os meus olhos vejam
Com o Teu olhar de Amor,

Dá luz à minha obscuridade.
Preenche de Ti as minhas razões,
Bendiz-me com a Tua paz
Ilumina os meus temores
Fá-los marchar.

Lava com barro os meus olhos, Senhor,
Mas infunde o Teu alento
Para viver no Teu amor.

Salomé Arricibita

POEMA
Que minha solidão me sirva de companhia.
que eu tenha a coragem de me enfrentar.
que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir
como se estivesse plena de tudo.

Clarice Lispector

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: