Venho convosco partilhar o meu primeiro dia como voluntária na paróquia, desejo que tinha há muito e que, finalmente, vi concretizado.

Encontrei, ao entrar na cozinha do salão paroquial, pessoas calorosas que me acolheram tranquilamente e me orientaram nas tarefas a executar.

A cozinha, para mim até ao momento desconhecida e fria, grande, limpa, organizada, bem equipada e silenciosa foi-se transformando num espaço familiar, à medida que cada um de nós, de avental, máscara e touca, ia realizando cada tarefa.

Concentrada a descascar, lavar, cortar legumes até à fase em que tudo começou a ser cozinhado (aquecendo a área com vapores e cheiros calorosos), embalado e organizado em sacos, senti uma grande felicidade ao ver a naturalidade com que cada ação nos encaminhava para o nível seguinte, rumo ao objectivo principal: a entrega de boas refeições a várias famílias necessitadas.

Em todo o processo, bem organizado, senti grande empatia pelo empenho de cada um dos voluntários.

Não há como a magia de se fazer algo com um propósito genuíno e, passo a passo, ver que com boa vontade, dedicação, amor e um pouco do nosso tempo algo concreto se realiza.

Sinto-me muito agradecida pelo modo como fui acolhida e orientada na minha primeira experiência na cozinha da paróquia e espero poder continuar a ajudar e a contribuir para a comunidade onde me insiro, pois acredito que iniciativas destas fazem a diferença na vida dos outros, sendo que os outros poderemos ser nós.

“Conheça todas as teorias, domine todas as técnicas, mas ao tocar uma alma humana, seja apenas outra alma humana.”
Carl Jung

Carla de Castro Estrada

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: